quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Sem saber bem para onde ir...



Peguei no carro e vaguei, sem saber bem para onde ir, mas indo…

Como adoro conduzir e ouvir musica alta é uma sensação de paz, de extasie.

Neste cenário de ruídos o pensamento surge abstraindo-se de tudo, como que por momentos só existisse eu.


Mais uma vez o meu pensamento só se resumia a ti, mas eu não quero pensar mais em ti, não quero gostar de ti, não quero me agarrar a uma esperança que a partida é em vão.
Como esquecer alguém que se aprendeu a amar? Como? Por mais que eu queira chegar a respostas, a conclusões, não as consigo ter. Não consigo entender o que fazer, o que é certo…
Foste bem clara quando te perguntei: “ainda sentes algo por mim?”, e após eu insistir tu respondes: “é um pouco complicado… mas não”, sinceramente já estava a espera dessa resposta, o NÃO, mas aquela esperança que residia em mim sempre acreditou que pelo mínimo que fosse ainda gostasses um pouco, mas a esperança atraiçoou-me. Eu precisava dessa resposta para assentar os pés na terra e não sonhar, não sonhar mais em te ter de volta, em te beijar de novo, em cada momento… Sei que não vais voltar e por mais que eu saiba a realidade não consigo perder a esperança, não consigo te esquecer, mas também não vou lutar, já dei muito de mim e sinto-me cansada.

Acredita que nunca gostei de alguém como de ti, aquele a vontade, aquele querer estar, aquele sorriso parvo quando recebia uma mensagem tua, aquele brilho no olhar… aquele tudo que nunca senti antes. Fizeste-me sonhar, fizeste-me viver, fizeste-me feliz!

Acredita que eu fiz de tudo por ti, cada movimento meu era a pensar em ti, eu vidrei por ti, eras tudo!

Por mais que eu quisesse descrever o que contigo senti e encontrar as palavras certas, eu não consigo, porque vai para além de qualquer palavra o poderia descrever.

Eu sei que tenho montes de defeitos, no fundo toda a gente os tem, a nossa incompatibilidade de feitios talvez não ajudou a dar certo, mas faltou o fundamental o sentimento que nos unia, porque o teu desapareceu, infelizmente coisas inexplicáveis da vida que acontecem.

Sinceramente nem sei porque escrevo, e sobretudo de ti, nenhuma palavra te vai trazer de novo ate mim, tudo isto é inútil, mas é o inútil que permite eu despejar tudo aquilo que vive dentro de mim no presente, é uma forma indirecta de me fazer ouvir mesmo que por inútil que seja, é nas palavras que reside a esperança de chegar a ti!

Se realmente o destino existir, ele fará certo!
ass: ná

4 comentários:

Sofi disse...

Lobe... Olha eu aqui... olha olha =)

As paixões vão e vêem... Agora sofres mas amanhã já estás a sorrir..

Os amigos estão sempre 'ali' independentemente do que acontecer!

Eu continuo aqui =)

Beijinho com carinho...
Lobe di mi bida =P

disse...

ohhh lobe de mi bida obrigada por estares sempre ai :)

aii k lamexices lol

beijinhos

Livremente disse...

Se terminou é porque algo de bom está para acontecer pensa nisso;) e força..

Ella disse...

consigo me imaginar nessa tua sencação de pas...
imagino a sityuação de paz interior de quando fazemos alguma coisa que gostamos e estamos bem com ela, como eu por exemplo ler no parapeito da janela do meu quarto gosto de ler e misturar me com a leitura, o barulho na rua serve para voltar ha realidade :')...
Tambem me sinto presa a alguem mas no entanto sou livre...é complicado :P beijinho em si ná.